Wellington e outros governadores eleitos tratam sobre segurança com futuro ministro da Justiça

Governador Wellington Dias trata sobre segurança (João Allbert/Arquivo)

Os governadores eleitos do Brasil tratam sobre um dos maiores desafios do país, a questão da Segurança Pública, em encontro, nesta quarta-feira (12), com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; o atual ministro da Segurança, Raul Jugmann; o próximo ministro da Justiça, Sérgio Moro; além de presidentes de outros tribunais.

De acordo com o governador do Piauí, Wellington Dias, será apresentada uma proposta sobre os eixos do Novo Sistema Nacional de Segurança, aprovado este ano por lei e que deve agir nos moldes do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Sistema Nacional de Educação.

“Queremos a proteção das fronteiras para evitar a entrada de armas, drogas e outros ilícitos. Ter nesse fundo um critério que permita ampliar o contigente humano, equipamentos, o uso de tecnologia para garantir a prevenção e as condições e combate não apenas do crime organizado, mas também os crimes contra o patrimônio, roubos, furtos, portanto, reduzir a criminalidade no Brasil”, comentou Wellington.

Para Dias, é importante a criação de metas e parâmetros. “A meta apresentada é de 3,5% na redução de homicídios já no 1º ano de gestão. Hoje o aumento da violência é de aproximadamente 4%, o que significa, na prática, uma redução de 7,5% ao ano”, explica o governador.

“O Piauí é um dos poucos estados que vem tendo uma queda, uma redução nesses índices. É um sistema novo, então vem o grande debate que é a necessidade de um fundo que tenha novos recursos, além dos recursos de loterias que é de R$1,9 bilhões”, comenta Wellington.

Os governadores irão apresentar a proposta de regulamentação do jogos eletrônicos pela internet, que são uma realidade no país mas que não são tributados. De acordo com Dias, com a tributação geraria uma receita para o fundo de aproximadamente R$ 21 bilhões, condizente com o tamanho do desafio. “ A violência e a insegurança são atualmente um dos maiores problemas do Brasil”, disse o gestor.

Autoria: Tamyres Rebeca

LEIA TAMBÉM