Wellington Dias reassume Governo do Estado, após 11 dias afastado

A vice-governadora Regina Sousa esteve afrente das decisões administrativas durante este período

 

Após 11 dias afastado das funções administrativas afrente do Governo do Estado, o governador Wellington Dias reassumiu o cargo na tarde desta terça-feira (11), em cerimônia de reassunção, no Palácio do Karnak. Durante o período de afastamento, motivado por uma viagem de caráter particular, as deliberações do executivo piauiense ficaram a cargo da vice-governadora, Regina Sousa.

“Volto feliz por saber que o Piauí foi bem conduzido durante esse período por nossa querida Regina Sousa. Eu estive dialogando com ela durante todos esses dias e volto ao trabalho com a certeza do trabalho bem feito”, resume Dias.

Para Regina, a condução do Estado se deu de forma tranquila, tendo ao seu lado uma equipe preparada para lidar com as amenidades. “É a segunda vez em dois meses que assumo a função de governadora em exercício. É uma rotina natural, levada sempre com seriedade e tranquilidade.  Claro, surgem amenidades durante o percurso, como o caso dos incêndios aos ônibus do transporte coletivo de Teresina, mas a equipe de segurança prontamente trabalhou, sempre me mantendo informada das constantes movimentações e conseguimos lograr êxito”, destaca a vice-governadora.

Dentre as medidas assumidas enquanto esteve em exercício à frente do Governo do Estado, Regina Sousa assinou dois importantes decretos para o bem-estar social. O primeiro, impõe ao Estado o dever de transportar mães e recém-nascidos de baixa renda oriundos da Maternidade Dona Evangelina Rosa para suas casas após o nascimento da criança, evitando assim a exposição dos bebês ao risco de um translado inadequado.

“A maternidade tem que oferecer o transporte para essas mães irem para casa. Até mesmo para buscarem os bebês que, por um acaso, não fizerem todos os testes e tomarem todas as vacinas enquanto estiveram sendo acompanhados nas primeiras 24h após o nascimento. Então, se eles tiverem que retornar à maternidade, o Estado ofertará esse serviço”, explica. Após os trâmites burocráticos, o veículo para transporte das puérperas deve estar à disposição em até 15 dias.

O segundo projeto garante o fornecimento de alimentação para moradores de rua da capital, por meio do Restaurante Popular. A medida foi efetivada através de assinatura de convênio com Pastoral para Pessoas em Situação de Rua, beneficiando mais de 50 pessoas em situação de rua. “São duas coisas que eu julgo importante, dentro daquilo que eu me propus a realizar. Que eu cuidaria dos excluídos”, pontua a vice-governadora.

Autoria: Pablo Cavalcante

LEIA TAMBÉM