Setembro Amarelo: educadores recebem orientações sobre prevenção ao suicídio

Suicídio é a segunda maior causa de morte de jovens no Brasil, de acordo com a OMS

Professores, diretores e pedagogos da Rede Municipal de Ensino de Teresina participaram hoje (17) de uma das atividades da Jornada de Biblioterapia Setembro Amarelo, no Centro de Formação Odilon Nunes. O objetivo é orientá-los sobre como dialogar com os estudantes acerca do suicídio, a segunda maior causa de morte de jovens no Brasil, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Os especialistas no tema alertaram para a importância de uma parceria entre escola e família na identificação dos sinais de transtornos de saúde mental. O palestrante, Galeno Amorim, já foi presidente da Biblioteca Nacional e traz como sugestão a utilização de livros como parte do tratamento.

“Conhecemos o poder de uma boa leitura para o tratamento de diversas doenças da mente e a ideia da biblioterapia é essa, utilizar os livros na prevenção e pósvenção do suicídio. O tema é delicado, exige sensibilidade, e os educadores podem contribuir muito e precisam ter as informações corretas para isso”, destaca Galeno.

O diálogo vem para somar forças com a Campanha Setembro Amarelo, um alerta para toda a população sobre a valorização da vida. A ampla divulgação de informações sobre as formas de prevenção do suicídio facilita a abordagem e os cuidados com os jovens com comportamento suicida, enlutados e pessoas que praticam automutilação.

“É um problema de saúde pública que também está dentro das escolas”, pontua Madalena Leal, gerente de Assistência ao Educando da Semec. Para ela, “é urgente conversar sobre o assunto e preparar os educadores para conversarem abertamente com os alunos, perceberem sinais e ajudar. A escola não trabalha sozinha, mas pode contribuir se estiver preparada para isso”, conclui.

LEIA TAMBÉM