Safra da lichia aquece vendas na Nova Ceasa

Uma fruta que nem todos conhecem pode ser uma ótima opção para aquele lanche mais saudável e gostoso: a lichia. A fruta que é originária da China, tem uma aparência não muito convencional, mas faz um sucesso tremendo na Nova Ceasa nesta época do ano, devido o sabor doce e baixa caloria, sendo uma excelente opção de lanche entre as refeições. A safra da lichia vai até o mês de março.

Segundo o permissionário Bernardo Pereira, que comercializa produtos na Nova Ceasa há 42 anos, ela não tem aquele aspecto bonito, mas o sabor surpreende e agrada a todos. “Vendemos lichia aqui há 10 anos e é um produto que chega e logo acaba, pois a procura é grande. Ela tem uma casca dura, vermelha e grossa, não costuma atrair pela aparência, mas o baixo teor calórico – em 100 gramas tem apenas cerca de 65 calorias, aliado à polpa doce explica esse sucesso”, explica Bernardo. “Amanhã, terça-feira, a nossa empresa vai receber um novo carregamento da fruta e boa parte dele já está vendido para supermercados, bares e restaurantes da capital e interior”, acrescentou o empresário.

Segundo a nutricionista Desirée Matos, a lichia possui fibras, vitaminas do complexo B, vitamina C, magnésio, fósforo, zinco, ferro e cobre. Além disso, a casca tem componentes de grande atividade antioxidante. “A fruta é importante no auxílio do controle da pressão sanguínea e cãibras, já que é fonte de potássio e magnésio. A vitamina C é importante para cicatrização e saúde imunológica, já que está envolvida em ambos os processos, além de auxiliar na perda de gordura, prevenção conta câncer e na diminuição do LDL colesterol”, disse a profissional.

A lichia é uma fruta da mesma família do guaraná. É originária da China, onde é cultivada desde 1500 A.C. No Brasil, a primeira árvore foi plantada no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em 1810, mas ainda não se sabia que seus frutos eram comestíveis. Hoje, no entanto, o País tem uma ótima produção interna dessa fruta e seu cultivo está concentrado no norte do Paraná, em São Paulo e no sul de Minas Gerais. A colheita tem início em novembro e vai até o fim de fevereiro.

Autoria: Juliana Diniz

LEIA TAMBÉM