Criminosos fingem ser profissionais de suporte técnico e enganam brasileiros

Maior parte dos brasileiros já se deparou com esse tipo de fraude e uma parcela teve perdas financeiras

Usuários e empresas brasileiras ainda são vítimas de fraudes com pretexto de suporte técnico. De acordo com um estudo feito pela divisão de Crimes Digitais da Microsoft em vários países, o número de golpes bem sucedidos do tipo no Brasil caiu entre 2016 e 2018, mas 66% das pessoas já tiveram contato com a prática. Dos casos registrados este ano, 5% resultaram em perda de dinheiro, menos do que os 12% de 2016.

Nesses esquemas criminosos, um hacker se passa por um profissional de suporte de uma grande empresa de tecnologia. Por telefone, e-mail ou janelas no próprio navegador, ele aborda um cliente afirmando que seu computador ou celular está infectado. O objetivo geralmente é ganhar acesso remoto ao dispositivo.

Segundo os relatos, o golpe mais frequente acontece com as pop-ups ou janelas que surgem em sites, atingindo 44% dos usuários. Em seguida, estão os e-mails não solicitados, com 37%. Boa parte dos brasileiros apenas ignoraram a tentativa dos hackers (43%), mas uma parcela seguiu com o contato fraudulento, mesmo que sem consequências financeiras (19%). Outros sequer interagiram com o fraudador (34%).

O Brasil tem estatísticas parecidas com a média mundial. Em outros países, 63% dos usuários são afetados por tentativas de fraude de suporte técnico, dos quais 6% chegam a perder dinheiro. O dano econômico, aliás, é um efeito negativo importante, mas não o único — o estresse causado e o conserto de equipamentos também são citados. E as vítimas têm perfis diversos, passando por diferentes gerações.

Como se proteger

Para evitar os golpes, segundo o relatório da Microsoft, é necessário compreender a origem das ameaças e como elas chegam até as pessoas. Também é fundamental manter seus dispositivos seguros e saber quais são as melhores ferramentas para verificar a confiabilidade de sites e e-mails.

As companhias de tecnologia não costumam fazer contato com clientes dessa maneira, portanto, fique muito atento caso receba uma mensagem ou ligação pedindo dados sensíveis. Não passe informações pessoais ou bancárias sem ter absoluta certeza da autenticidade de seu interlocutor.

Fonte: www.techtudo.com.br

Por Isabela Cabral, para o TechTudo

LEIA TAMBÉM